É FATO: É NO DIA-A-DIA, COM A APRENDIZAGEM

Senhores,
 
Seguem, para vocês, três poesias da minha autoria.
 
Chicote, Chico Lobo, meu queridíssimo amigo, é, atualmente, o que mais me incentiva a enviar os meus escritos. Sempre me diz: “não entendo por que você só manda textos de outros autores; quero ler coisas suas também.” E liga o fato de não lhes chegar as minhas linhas à minha insegurança de me expor (rs).
 
Realmente, não sei se ele tem alguma razão, todavia, intuo que não. Porque não tenho problema algum em mostrar às pessoas muitos dos meus poemas. Acho que a razão maior para que não mande o meu material é o grande conhecimento que possuo sobre o que escrevo (ou que acho que possuo – rs). A minha vontade maior é a de mandar textos de outrem, justamente pelo trabalho que tenho, e que acho delicioso, muito saboroso, de desvendar o que dizem as outras vozes, o que têm a me oferecer divergentes gargantas. Um poeta, antes de qualquer coisa, deve ser um leitor curioso, um leitor sequioso.  
 
Seja o que for, eis, aqui, três dos meus poemas. Acho-os iluminados, felizes, redondinhos.
 
O último da trinca, Casamento, feito para o meu primo Dedé e sua esposa, retrata um tanto das minhas experiências nesse quesito (rs). Fui muito feliz nos meus casamentos. O reconhecimento dos olhares, das falas, das peculiaridades, as expectativas ante a mesa posta, tudo isso são acontecimentos que me abrigam. Assim como o segundo, feito por causa do relacionamento de amigos, mas que relata a minha maneira de apreender o amor: no dia-a-dia, traduzindo a paisagem do amante ao alcance dos olhos, deixando que os encantos apareçam aos poucos, sem carta marcada, sem jogo marcado, deixando que os verdes do caminho floresçam, que a luz nasça da própria urgência de luz, de amor, de calor.
 
Enfim: um pouco de Paulo Sabino para vocês. 😉
 
Espero que gostem das linhas!
 
Um beijo grande,
o preto.
_____________________
 
é fato: a gente erra,
então desconcerta
e, depois, desperta
pra continuar a guerra:
de respeito às diferenças,
de aceitação de outras crenças,
de admiração ao diverso.
é nesse universo
que batalho o meu ingresso,
pois vejo o inverso
como retrocesso do processo.
desejo toda sorte de opiniões.
no fim das contas, o que conta são os corações
crendo pra valer e fazendo por onde,
na fissura de que da felicidade o bonde
perpasse todos os pontos
sem deixar um único tonto
de fora das suas grandes viagens.
sigamos em busca das passagens!
_____________________
 
mais que transmita o cinema
ou o mais bem escrito poema
— mais ainda: qualquer existente tática
ou conta aprendida com a matemática —,
nosso amor se faz na prática
de tudo o que possa vir a ser,
sem carta marcada ou parecer.
 
é no dia-a-dia, com a aprendizagem,
que traduzo a sua paisagem,
como quando o arado de um campo,
que, mais tarde, revela verdes e encanto.
 
nosso amor assim se desvela:
não é preciso lampião ou vela;
possui luz própria que surge
desta vontade de amar que, em mim, urge.
_____________________
 
CASAMENTO
 
este acontecimento se dá satisfeito
quando o eco do sim se apresenta
em cada grão de poeira levantada,
em cada lágrima de tristeza derramada,
em cada partícula de luz projetada.
o reconhecimento dos gestos, do olhar, da fala,
das reentrâncias perdidas no corpo e na alma.
guardar-se sob as asas de um arcanjo,
saboreando o gosto da água do chuveiro,
o cheiro da comida à espera na mesa,
o jeito peculiar de deitar-se na cama.
até que um dia você se surpreenderá ao descobrir
que a vida é feita de sucessivos partos,
e verá que só no colo da amada,
sorvendo o seu colostro,
roçando a barba em sua carne protetora,
terá o desespero exaurido,
o medo sanado,
a poesia madura
— o abrigo diluído em códigos abissais —.
Anúncios

10 Respostas

  1. até que enfim. muito bom, como imaginei!

    • valeu, francisco!!

      beijo grande!!

  2. Lindoooooo!!!!!
    Eu adorei as 3 poesias!
    “Casamento” é muiiiito tudo!!
    Eu suspirei………..

    Beijo!
    Margot Prevot.

  3. que maravilha saber, margot!!

    beijo grande, lindinha!!

  4. Paulinho,

    Hoje, tive como vir aqui em seu belo blog. Ótimos poemas. Continue escrevendo. Escrever é prática. Continuo viajando. Estou em Porto Velho/Rondônia. Depois, quando eu estiver em Maceió, farei um estudo crítico detalhado desses seus lindos poemas.

    Grande abraço,
    Adriano Nunes.

    • adriano,

      você, como sempre, uma lindeza, uma delicadeza… puxa vida, que coisa boa!…

      beijo, queridão!

  5. Paulinho,
    Que maravilha essa iniciativa. Aguardamos outros belos poemas.
    Abraço.
    Mariano.

    • enviarei, sim, mariano, outros poemas!

      você não faz idéia de como é bom este retorno… de verdade!

      beijo grande!

  6. meu lindo,
    que coisa boa ler algo seu. são lindos…
    “a vida é feita de sucessivos partos” perfeito…
    mande-nos mais, sempre. 😉
    beijo enorme

    • minha flor!

      que prazer tê-la aqui!

      mandarei mais poemas, pode deixar (rs)!

      beijo, amore mio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: