BIOGRAFIA

prezados,
 
aqui, um tanto da grafia, da escrita da minha existência:
 
eu me perdi na sordidez do mundo. e me salvei na limpidez da terra.
 
eu me busquei no vento e me encontrei no mar.
 
por isso, não me peçam cartão de identidade, pois nenhum outro, senão o mundo, tenho. não trago deus em mim, mas no mundo em que habito, sabendo que o real o revelará.
 
não tenho explicações. olho e confronto, e, por método, meu pensamento é nu.
 
a terra, o sol, o vento, o mar, são minha biografia, são meu rosto.
 
o meu interior é uma atenção voltada para fora. de tudo quanto vejo, me acrescento.
 
e, ao poema, eternamente, regressarei como à pátria, como à casa, como à antiga infância, para buscar, obstinado, a substância de tudo e gritar de paixão sob mil luzes acesas.
 
que assim seja.
 
um beijo em todos,
paulo sabino / paulinho.
___________________________________________________________________________
 
(do livro: Poemas Escolhidos. autora: Sophia de Mello Breyner Andresen. organização: Vilma Arêas. editora: Companhia das Letras.)
 
 
EU ME PERDI
 
Eu me perdi na sordidez de um mundo
Onde era preciso ser
Polícia agiota fariseu
Ou cocote
 
Eu me perdi na sordidez do mundo
Eu me salvei na limpidez da terra
 
Eu me busquei no vento e me encontrei no mar
E nunca
Um navio da costa se afastou
Sem me levar
 
 
POEMA
 
A minha vida é o mar o Abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita
 
Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará
 
Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento
 
A terra o sol o vento o mar
São minha biografia e são meu rosto
 
Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas
Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento
 
E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada
 
 
REGRESSAREI
 
Eu regressarei ao poema como à pátria à casa
Como à antiga infância que perdi por descuido
Para buscar obstinada a substância de tudo
E gritar de paixão sob mil luzes acesas

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: