NO MUNDO, NADA DO QUE FOI SERÁ

nada do que foi será, de novo, do jeito que  já foi um dia.
 
(tudo passa, tudo, sempre, passará.)
 
tudo o que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo.
 
(tudo muda, o tempo todo, no mundo.)
 
nada detém a foice do tempo.
 
somente através de nossas heranças, isto é, apenas através dos filhos que temos — e esses filhos, ao meu ver, podem ser pessoas, projetos, feitos, façanhas — conseguimos perpetuar, conseguimos eternizar, o tempo após a nossa partida.
 
pensemos nos frutos que colhemos, e que gestamos, e que preparamos, e que aprontamos, na árvore da vida.
 
(aqui dentro (em mim), sempre: como uma onda no mar…)
 
beijo em todos,
o preto,
paulo sabino / paulinho.
_________________________________________________________________________________________________________
 
(do livro: 44 sonetos escolhidos. autor: William Shakespeare. tradução: Thereza Christina Rocque da Motta. editora: Ibis Libris.)
 
 
SONETO 12
 
Quando conto as horas que passam no relógio,
E a noite medonha vem naufragar o dia;
Quando vejo a violeta esmaecida,
E minguar seu viço, pelo tempo embranquecida;
Quando vejo as altas copas de folhagens despidas,
Que protegiam o rebanho do calor com a sua sombra,
E a relva do verão atada em feixes
Ser carregada em fardos em viagem;
Então, questiono a tua beleza,
Que deve fenecer com o vagar dos anos,
Como a doçura e a beleza se abandonam,
E morrem tão rápido quanto outras crescem;
  Nada detém a foice do Tempo,
  A não ser os filhos, para perpetuá-lo após tua partida.

3 Respostas

  1. Paulinho,

    I love Shakespeare so much! Save him!

    Abração,
    Adriano Nunes.

    • adriano, meu lindo & sempre sempre benvindo,

      que maravilha! e este soneto, em especial, é tão bonito… se bem que, pensando melhor, tratando-se de shakespeare e seus sonetos fica difícil citar apenas um “em especial”. são todos tão lindos, tão espertos, tão delicados…

      salve o william (rs)!!

      beijO, meu poeta querido das alagoas!

      ps: aliás, ontem, numa livraria, pensei em você. é que comprei um livro de um poeta também das alagoas, maurício de macedo, um livro chamado “palavras tortas”.

      aproveito para dedicar o poema que segue a você, por conta desse seu singelo & bonito comentário de amor ao poeta inglês.

      Sagração

      Os versos do poeta romântico inglês,
      joias da língua de Shakespeare.
      E no exemplar do livro
      do poeta romântico inglês,
      a dedicatória ao filho
      no seu aniversário.

      Havia outra poesia
      no exemplar do livro
      do poeta romântico inglês,
      além da poesia
      do poeta romântico inglês.
      Havia outro livro
      que a dedicatória escondia,
      um livro que só o filho
      saberia encontrar e ler.

  2. Paulinho,

    Muito grato pelo poema. Emocionei-me profundamente. Sempre o estou lendo, sempre atento às suas criações e postagens.

    Abraço forte,
    Adriano Nunes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: