OLHOS: ESTRELAS QUE REVELAM & ENSINAM

mesmo conhecendo os astros, não saberia ler a sorte (a minha ou a de outrem) nas estrelas.
 
embora a astronomia, não poderia adivinhar o destino de ninguém tampouco adivinhar as pragas, privações & mudanças de estação.
 
não posso conhecer o futuro, não posso conhecer as tormentas que nos esperam no porvir, prevendo o que apenas os céus podem trazer.
 
porém, a minha sabedoria, retiro-a, em parte, de olhos que me mirem com amor & verdade, e neles, para mim estrelas, entendo a arte da minha sabedoria, compreendo a sua habilidade (a habilidade da minha sabedoria: reter conhecimento através da luz dos olhos que olham com amor & verdade).
 
em olhos tais, olhos amorosos, percebo e prenuncio: verdade & beleza findam, pois deles verte o alento, pois deles verte o vigor, o ânimo, que os meus olhos alimenta.
 
olhos nos olhos. (e que eles sempre falem alto ao coração.)
 
beijo em vocês,
paulo sabino / paulinho.
_________________________________________________________________________
 
(do livro: 44 Sonetos escolhidos. autor: William Shakespeare. tradução: Thereza Christina Rocque da Motta. editora: Ibis Libris.)  
 
 
SONETO 14
 
Não faço meus julgamentos pelas estrelas;
Embora conheça bem a astronomia,
Mas não para adivinhar o azar ou a sorte,
As pragas, as privações ou as mudanças de estação;
Nem posso adivinhar o futuro tão próximo,
Dando a cada um a sua tormenta,
Ou dizer aos príncipes se tudo passará,
Prevendo o que apenas os céus podem trazer:
Porém, retiro a minha sabedoria de teus olhos,
E nelas (eternas estrelas) entendo a sua arte,
Pois, juntas, vencerão a verdade e a beleza,
Se de teu próprio ser verteres o teu alento;
  Senão, isto, eu prenunciaria:
  Em ti, toda a verdade e beleza findam.
 
 
SONNET 14
 
Not from the stars do I my judgment pluck;
And yet methinks I have astronomy,
But not to tell of good or evil luck,
Of plagues, of dearths, or season’s quality;
Nor can I fortune to brief minutes tell,
Pointing to each his thunder, rain and wind,
Or say with princes if it shall go well,
By oft predict that I in heaven find:
But from thine eyes my knowledge I derive,
And (constant stars) in them I read such art
As truth and beauty shall together thrive,
If from thyself to store thou wouldst convert;
  Or else of thee this I prognosticate:
  Thy end is truth’s and beauty’s doom and date.

2 Respostas

  1. Lindoooo!!

    • Que bom saber que gostou, Yui.

      Espero suas visitas mais vezes.

      Abraço!

Deixe uma resposta para Yui Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: