AMOR EM PRIMEIRA PESSOA

(Clarice Lispector: D.I.V.A.)
 
____________________________________________________________

 

(do livro: Aprendendo a viver — imagens. autora: Clarice Lispector. edição de texto: Teresa Montero. editora: Rocco.)
 
 
 
Olha para mim e me ama.
Não: tu olhas para ti e te amas.
É o que está certo.
 
 
____________________________________________________________
 
 
por que, a meu ver, clarice lispector não está apenas certa, está certíssima!, quanto à asserção aqui citada?
 
ela, primeiramente, parte daquele velho conhecido princípio: como é que vou amar o outro se não me amo antes?

primeiro, a capacitação para o amor: amar-se. depois, o grande exercício: amar o outro.

sabe dar amor aquele que sabe, antes, amar-se.

outra verificação:

 
ao outro, num relacionamento amoroso, unimo-nos por questões de afinidades.

o amor tem que ter, impreterivelmente, afinidades.

pares afins a fim de uma vida a dois.

é claro que diferenças existem, e pode-se amar o outro por “certas”, digo, algumas, diferenças. porém, as diferenças que amamos no outro são diferenças que acrescentam, que somam, diferenças que, de certo modo, ainda que não se deseje abarcá-las, são admiradas, diferenças que são respeitadas porque significam contentamentos.

sendo assim, se pararmos para bem pensar, no fundo no fundo, amamos no outro aquilo que gostamos em nós ou o que gostamos de ver disponível na vida (a olhos vistos). de certa maneira, trata-se também de um amor na primeira pessoa.

por tudo isso, por dizer tanto em tão pouco,

 
clarice (em minha vida) é D.I.V.A.
 
beijo todos!
paulo sabino.
Anúncios

5 Respostas

  1. Meu amor é declarado e rasgado!

    AMO Clarice LISPECTOR.

    Seus escritos são espécie de mantra, ordem desorganizada, direção certa das coisas daqui de dentro sem lá nem mesmo eu sem explicar.

    Adorei fotos e citação.

    Venho sempre aqui, e abro sorrisos, principalmente quando tem algo dela.

    E para não perder o costume me conta?
    O Rio de Janeiro continua lindo?

    Abraços 🙂

    • Sim, Ana, o Rio de Janeiro continua lindo!

      Que lindas as suas palavras, salve!

      Beijo GRANDE, querida!

      (Espero as suas visitas!)

  2. Clarice me trouxe até aqui! 🙂 É impossível alguém tão vivo ter morrido. Ela continua bem viva. (Ainda e) Sempre surpreendendo. É incrível …

    Parabéns pelo seu espaço!

    Agradecida pela partilha.

    Um beijinho,
    Manu.

    • Bom saber que você foi trazida pelos traços poéticos de Clarice!

      Pois espero que as suas visitas a este espaço continuem.

      Aqui, a casa é nossa!

      Beijo, Manu!

  3. Obrigada! Voltarei. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: