OCUPAÇÃO POÉTICA — TEATRO CÂNDIDO MENDES (5ª EDIÇÃO) — FOTOS (EVENTO) & VÍDEOS (PAULO SABINO)

Ocupação Poética 1

Ocupação Poética 11

 

WP_20160615_20_36_04_Pro

(Paulo Sabino)

Ocupação Poética 13

(Ithamara Koorax)

Ocupação Poética 16

(Sheila da Silveira)

Ocupação Poética 3

(Aloísio de Abreu)

Ocupação Poética 15

(Sandra Duailibe)

Ocupação Poética 9

(Paulo Mário Martins)

Ocupação Poética 20

(Patrícia Mellodi)

Ocupação Poética 22

(Jorge Salomão)

Ocupação Poética 40

(Jane Di Castro)

Ocupação Poética 25

(Christovam de Chevalier)

WP_20160615_21_46_52_Pro

(O elenco desta 5ª edição: Sheila da Silveira, Paulo Sabino, Patricia Mellodi, Jorge Salomão, Jane Di Castro, Christovam de Chevalier, Aloísio de Abreu, Ithamara Koorax, Paulo Mário Martins, Sandra Duailibe)

Ocupação Poética_ Aloísio-de-Abreu-Paulo-Sabino-e-Jane-de-Castro

(Aloísio de Abreu, Paulo Sabino & Jane Di Castro — Foto: Marco Rodrigues)

WP_20160615_21_59_57_Pro

(Ithamara Koorax & Paulo Sabino)

WP_20160615_22_00_39_Pro

(Paulo Sabino, Paulo Mário Martins & Christovam de Chevalier)

WP_20160615_21_52_41_Pro

(Patricia Mellodi, Paulo Sabino, Jorge Salomão & Sandra Duailibe)

WP_20160615_21_53_10_Pro

(O coordenador do projeto, Paulo Sabino, e o homenageado da noite, o jornalista & poeta Christovam de Chevalier)

Ocupação Poética Chistovam de Chavalier Zona Sul O Globo Vejinha Cultura_Revista Veja

5ª Edição_Folha SP

5ª Edição_Folha SP 1

(Algumas matérias sobre a 5ª edição deste projeto: no caderno Zona Sul, do jornal O Globo; na revista Veja Cultura; na coluna da Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo)
______________________________________________________

A noite de quarta-feira (15/06), com a 5ª edição do projeto Ocupação Poética, coordenado por este que vos escreve, no teatro Cândido Mendes (Ipanema), em homenagem ao querido & talentoso jornalista & poeta Christovam de Chevalier, e com participações para lá de especiais de Ithamara Koorax, Sheila da Silveira, Aloísio de Abreu, Sandra Duailibe, Paulo Mário Martins, Patrícia Mellodi, Jorge Salomão & Jane di Castro, foi de pura emoção, pura sofisticação, pura lindeza, pura luz.

Noite embriagada de poesia.

A noite de quarta-feira (15/06) teve um significado imenso na minha existência: perto de completar os meus 40 anos (perto de fechar mais uma década de vida, a década de 30, e partindo para a década de 40), no dia 24 de junho, dia de são João Xangô menino, uma noite mágica de poesia, ao lado de feras participantes, amigos & público quente, me trouxe uma alegria de vida que a minha atenção dispensada à saúde da minha mãe, em geral, neste momento, tem dispensado.

“Coração na boca, peito aberto, vou sangrando”.

Valeu demais, valeu por tudo!

Agradecer a todos os envolvidos para que a noite acontecesse: Christovam de Chevalier, Ithamara Koorax, Sheila da Silveira, Aloísio de Abreu, Sandra Duailibe, Paulo Mário Martins, Patrícia Mellodi, Jorge Salomão, Jane di Castro, Julia Mendes de Almeida, Rafael Roesler Millon, Adil Tiscatti & Fernanda Oliveira — o meu muitíssimobrigado!

Agora é partir para a 6ª edição!

Vamos que vamos!

“Quando eu soltar a minha voz, por favor, entenda: é apenas o meu jeito de viver o que é amar”.

Beijo todos!
Paulo Sabino.
______________________________________________________

(do site: Youtube. projeto: Ocupação Poética [5ª edição] — Teatro Cândido Mendes. local: Rio de Janeiro. data: 15/06/2016. Paulo Sabino recita Não sou a mosca azul do Machado (…), poema de Christovam de Chevalier.)

 

Não sou a mosca azul do Machado     (Christovam de Chevalier)
pois o cofre da alegria e juventude
não está em mim depositado.

O que há é o triste som do alaúde
desafinado, o bafo de idosos banguelas
(cinza e preto colorem minhas aquarelas).

Fico triste, pois sou triste.
Nenhum dedo em riste
vai barrar a entrada da tristeza em mim
(seu crachá tem validade permanente).

A tristeza me visita com freqüência
É habituée da minha pessoa.
Aproveita-se da minha ausência
Invadindo-me quando estou à toa.
______________________________________________________

(do site: Youtube. projeto: Ocupação Poética [5ª edição] — Teatro Cândido Mendes. local: Rio de Janeiro. data: 15/06/2016. Paulo Sabino recita Quadrinha sem motivo, poema de Christovam de Chevalier.)

 

QUADRINHA SEM MOTIVO  (Christovam de Chevalier)

 

O consolo da voz
sobre o solo da foz
do rio que, como um raio
rasga o horizonte onde desmaio.
______________________________________________________

(do site: Youtube. projeto: Ocupação Poética [5ª edição] — Teatro Cândido Mendes. local: Rio de Janeiro. data: 15/06/2016. Paulo Sabino recita Menstrual, poema de Christovam de Chevalier.)

 

MENSTRUAL  (Christovam de Chevalier)

 

Boceta bucólica
faceta alcoólica
lírica e simbólica
Coca-Cólica.
______________________________________________________

(do site: Youtube. projeto: Ocupação Poética [5ª edição] — Teatro Cândido Mendes. local: Rio de Janeiro. data: 15/06/2016. Paulo Sabino recita Deus, poema de Christovam de Chevalier.)

 

DEUS  (Christovam de Chevalier)

 

Deus do vinagre e do Viagra
Das hipócritas beatas e das livres prostitutas
Deus, que o íntimo de minh’ alma consagra
Dos imbecis às pessoas mais astutas.

Não és o it denominado por Clarice
Muito menos as flores e árvores do Caeiro.
Se aparecesses em flashes de propaganda
Deixando assim que algum de nós o visse
Terias algum crédito primeiro.

Terá Deus o rosto do Murilo Benício?
Terá Ele conosco alguma semelhança?
Terá já tido um fim ou mesmo um início?
Terá o corpo de idoso ou a tez de criança?

Não rogo a ti cem vezes como o compositor
Simplesmente não te rogo
Renego-te, abandono-te
Como se esquece o carrinho de bebê numa praça deserta.

Posso até crer em ti
Crendo no que desconheço.
Crendo no que nunca vi…
Será que isso eu mereço?
______________________________________________________

(do site: Youtube. projeto: Ocupação Poética [5ª edição] — Teatro Cândido Mendes. local: Rio de Janeiro. data: 15/06/2016. Paulo Sabino recita Canção a Maria Bethânia, poema de Christovam de Chevalier.)

 

CANÇÃO A MARIA BETHÂNIA  (Christovam de Chevalier)

 

O timbre de Maria Bethânia é timbre de pedra.
Pedra corroída por erosões pluviais
Negrume vindo do centro dos umbrais
(tudo quanto é pouco, tudo quanto é mais).
O timbre de Maria é a ladainha secular
Que ecoa e paira sobre o lilás do mar
Ladainha que evoca a Virgem Mãe
Ladainha que é profana e malsã
Canto avermelhado , ponto de Iansã
Pássara proibida da manhã
Tenra, Terra…

Diva, divina, divindade
Doce e sutil calamidade
Abelha rainha de sua colmeia
Sangras na palma da mão tua platéia
Musa que abusa da melodia
Nobre e altiva fulana
Com jogo de cintura, rodas tua baiana
Em prol do respeito e da disciplina
Canto choroso de madura menina.

Dentre tantas és a maior intérprete
Feiticeira das feiticeiras: és Hécate.
Clamor vociferado em doce canto
Rainha que abdicou de cetro, coroa e do rubro manto
Alegria transmutada em doce pranto
Luz da noite
Facho incandescente.

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: