LIVRO DO DESASSOSSEGO – FRAGMENTO 6

Queridos,
 
Aqui,
 
um fragmento da autobiografia de Bernardo Soares, guarda-livros morador de Lisboa, organizada por Fernando Pessoa a partir da reunião dos textos dispersos,  fragmentos e rascunhos seus.
 
As linhas portuguesas me lembraram estes versos do poeta Carlos Drummond de Andrade, neste contexto, dispostos como epígrafe:
 
Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo
_____________________
 
Fragmento 6Livro do DesassossegoBernardo Soares (heterônimo de Fernando Pessoa) — editora: Companhia das Letras 
 
Escrevo, triste, no meu quarto quieto, sozinho como sempre tenho sido, sozinho como sempre serei. E penso se a minha voz, aparentemente tão pouca coisa, não encarna a substância de milhares de vozes, a fome de dizerem-se de milhares de vidas, a paciência de milhões de almas submissas como a minha ao destino quotidiano, ao sonho inútil, à esperança sem vestígios. Nestes momentos meu coração pulsa mais alto por minha consciência dele. Vivo mais porque vivo maior.
_____________________
 
Beijo em todos.
Paulo Sabino / Paulinho.

Anúncios

Uma resposta

  1. Paulinho,

    Pessoa é mesmo um desassossego múltiplo! Valeu!

    Grande abraço,
    Adriano Nunes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: